,

Imprensa tenta transformar “anjinhos de Mogi” em herois e ridicularizar a Polícia

003

O ritual de alguns veículos de mídia é sempre o mesmo: ridicularizar a polícia e martirizar jovens envolvidos em atitudes suspeitas. A narrativa da polícia opressora, do excesso de violência contra jovens indefesos e vítimas do sistema aflora sempre que surge uma oportunidade como a que aconteceu em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

Violência gera violência, mas o tratamento do texto dado aos atos de brutalidade contra policiais não é mesmo quando a situação é inversa.

No caso de Mogi das Cruzes a imprensa tenta imprimir um cenário onde os jovens assassinados pagaram por algo que não cometeram, foram vítimas inocentes de um crime. Como alguém que dirige um carro e é abordado por assaltantes armados.

De acordo com o Mapa da Violência/2015, a polícia brasileira é mal remunerada, atua sob forte pressão e não tem equipamentos suficientes para combater o que eles chamam de guerra urbana. O número de policiais mortos em conflitos cresce a cada ano, enquanto diminui os investimentos na corporação.

No Rio de Janeiro como em São Paulo a imprensa busca a todo momento dar um tratamento ideológico para casos de violência envolvendo traficantes e a polícia. Sendo, na visão da imprensa, a polícia o principal agente causador da violência. Isso é uma covardia com a sociedade brasileira e os milhares de trabalhadores que lutam honestamente pelo pão de cada dia.

(foto ilustrativa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *